sábado, 4 de novembro de 2017

Cardeal Patrono da Ordem de Malta presidiu a Celebração na Real Basílica de Mafra

No âmbito das Comemorações do Tricentenário do Palácio Nacional de Mafra (1717-2017), realizou-se hoje, 04 de Novembro, na Real Basílica de Nossa Senhora e Santo António, uma Missa Pontificial na forma do rito romano tradicional, acompanhada pelos seis órgãos da Basílica.
A Celebração, em Latim e Português, foi presidida por Sua Eminência Reverendíssima o Cardeal Raymond Leo Burke, Patrono da Ordem Soberana e Militar de Malta.


Dignaram-se assistir a esta Celebração vários membros da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem de Malta, que tiveram oportunidade de cumprimentar Sua Eminência Reverendíssima em audiência reservada.

Membros da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses com Sua Eminência Reverendíssima

domingo, 29 de outubro de 2017

Cardeal Patrono da Ordem de Malta preside a Celebração na Real Basílica de Mafra

No âmbito das Comemorações do Tricentenário do Palácio Nacional de Mafra (1717-2017), no próximo sábado, dia 4 de Novembro, a partir das 14h30, Sua Eminência Reverendíssima o Cardeal Raymond Leo Burke, Cardeal Patrono da Ordem de Malta, estará em Mafra, onde presidirá a uma Celebração na forma ordinária do rito romano.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Foral Manuelino de Montoito faz quinhentos anos.

Excerto do Foral dado ao lugar de Montoito
da Ordem de São João
Montoito é uma freguesia do concelho de Redondo, no Alentejo profundo. Foi uma antiga comenda da Ordem de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta, como expressamente mencionado no Foral Manuelino.
O brasão autárquico da freguesia diz bem dessa antiga pertença, ao ostentar a cruz da Ordem de Malta, de que se pode saber mais a páginas 222 e seguintes do livro "A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses".

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

domingo, 10 de setembro de 2017

Apresentação e lançamento do livro 'A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses', de António Brandão de Pinho

Teve lugar ontem, dia 9 de Setembro, na Igreja de Santa Luzia e São Brás, em Lisboa, Sede Nacional da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem Soberana e Militar de Malta, a apresentação e lançamento do livro "A CRUZ DA ORDEM DE MALTA NOS BRASÕES AUTÁRQUICOS PORTUGUESES", da autoria de António Brandão de Pinho, Cavaleiro da Ordem Soberana e Militar de Malta e Membro do Conselho Directivo da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses.

Dignaram-se integrar a mesa de apresentação, S.A.R. o Senhor Infante D. Miguel de Bragança, Duque de Viseu, Presidente de Honra da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses, S.E. o Senhor Conde de Albuquerque, Presidente do Conselho Directivo da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses, S.E. o Senhor Dr. Miguel de Polignac de Barros, Embaixador da Ordem de Malta em Portugal, o Excelentíssimo Senhor Dr. Lourenço Correia de Matos e o autor.



Começou por usar da palavra S.E. o Conde de Albuquerque, Dr. D. Augusto de Albuquerque de Athayde, que, depois de cumprimentar e saudar todos os presentes na Sede da Assembleia Portuguesa para a apresentação e lançamento do livro, referiu a relevância do trabalho agora dado à estampa, para a Ordem, mas também para as autarquias, freguesias e concelhos nele tratados. Depois de destacar alguns aspectos relativos à história e actualidade da Ordem tratados na obra, que teve muito gosto em prefaciar, referiu ser este um dia muito importante para a Assembleia dos Cavaleiros Portugueses, o dia em que um seu Membro dá mais um importante contributo para que se conheça a história e contemporaneidade da Ordem de Malta, e com esta a história e contemporaneidade das muitas freguesias e municípios que se revêem na cruz de oito pontas e partilham a identidade melitense que a mesma encerra. Agradeceu, pois, mais este contributo ao autor e manifestou o desejo de que não seja ainda o último.

Seguidamente usou da palavra S.E. o Embaixador da Ordem de Malta em Portugal, Dr. Miguel de Polignac de Barros, que, depois de cumprimentar os presentes e o autor por mais este trabalho, salientou o facto deste livro, muito importante para o conhecimento da história da Ordem, ser também um excelente guia para descobrir e conhecer muitas terras, vilas e aldeias, onde a Ordem de Malta esteve presente, mas cuja história andava sumida e desligada. Aproveitou ainda para se referir às vicissitudes que têm marcado a vida da Ordem de Malta ao longo destes mais de 900 anos, mas as quais tem superado também por força do peso da sua história, que este livro ajuda a conhecer e esclarecer.

O autor, António Brandão de Pinho, usou da palavra, para agradecer a colaboração e incentivo que sempre recebeu dos mais altos representantes da Ordem em Portugal, agradecer a presença dos confrades, amigos, família e demais pessoas presentes nesta sessão e, por fim, para explicar as razões que o levaram a elaborar este trabalho, o que fez muito sucintamente.

Por fim, e para apresentação do livro, usou da palavra o Excelentíssimo Dr. Lourenço Correia de Matos, Consultor Heráldico da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses e Chanceler do Instituto Português de Heráldica. O qual, depois de cumprimentar a mesa e assistência e felicitar o autor, começou por referir o facto de lhe ser cara a vertente heráldica tratada neste livro, uma vez que ele próprio, como o autor fez questão de assinalar na introdução, se debruçou sobre a mesma temática e sobre esta elaborou um artigo há já cerca de 10 anos. Salientando o facto do autor fazer questão de dizer e escrever não ser formado em História nem ser escritor de livros, mas um mero investigador em horas vagas, Correia de Matos, Mestre em História, estruturou a sua apresentação de modo a provar que isso não retira qualquer mérito ao trabalho agora dado a conhecer - que de resto, já não é o primeiro realizado pelo autor - e que o coloca entre os grandes obreiros da história da Ordem de Malta em Portugal, como sejam Frei Lucas de Santa Catharina, José Anastácio de Figueiredo, Martim de Albuquerque, Paula Pinto Costa ou Inês Versos, para referir apenas alguns dos maiores vultos.
Depois de se referir mais em pormenor a alguns aspectos históricos e heráldicos tratados neste trabalho, nomeadamente a pesquisa de dados relativos aos Corpos de Ordenanças, que até hoje não haviam sido tratados com tanto desenvolvimento, o Consultor Heráldico terminou a sua apresentação referindo estarmos em face de mais uma obra muito importante para se conhecer a história da Ordem de Malta, com aspectos de importantíssima curiosidade e relevância, a qual não deveria deixar de ser adquirida, pelo menos, pelos membros da Ordem e pelas bibliotecas das autarquias tratadas.

Seguiu-se a Sessão de autógrafos pelo autor.









Presente nesta Sessão esteve ainda o representante da Chiado Editora, que informou que o livro, nesta primeira edição é publicado em Portugal e no Brasil, em formato papel e ebook, encontrando-se já à venda na Chiado, Bertrand, FnacWook e Porto Editora, bem como nos Cafés Literários da Chiado, em Lisboa e no Porto, nos pontos Publicações Europa-América e RG Livreiros.

Clicar na imagem para comprar o livro agora
Clicar na imagem para comprar o livro agora

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Presidente da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses recebeu António Brandão de Pinho

Recém-chegado do período de férias e correspondendo ao pedido que lhe foi dirigido, Sua Excelência o Presidente do Conselho da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem Soberana e Militar de Malta recebeu António Brandão de Pinho, membro do seu Conselho e autor da obra "A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses".


A audiência destinou-se a apresentar cumprimentos e a fazer a oferta simbólica do livro ao Senhor Conde de Albuquerque, autor do prefácio, conhecedor e principal impulsionador do trabalho agora dado à estampa por este seu confrade e amigo.


O encontro serviu ainda para abordar alguns assuntos relacionados com a Ordem e Assembleia dos Cavaleiros Portugueses, bem como para ultimar alguns pormenores relacionados com a Sessão de Apresentação e Lançamento do livro, que terá lugar no próximo dia 9 de setembro, pelas 16h00, na Igreja de Santa Luzia e São Brás, em Lisboa, e será presidida por Sua Excelência.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Embaixador da Ordem de Malta em Portugal recebeu António Brandão de Pinho

Apesar de ainda se encontrar no gozo do período de férias, mas não querendo deixar de corresponder ao pedido que lhe foi dirigido, Sua Excelência o Embaixador da Ordem de Malta em Portugal, Dr. Miguel de Polignac de Barros,  recebeu António Brandão de Pinho, autor do livro "A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses".


A audiência destinou-se a apresentar cumprimentos, apresentar o trabalho agora dado à estampa e formalizar o convite a Sua Excelência para assistir à Sessão de Lançamento do Livro, que terá lugar no próximo sábado, dia 9 de Setembro, pelas 16h00, na Igreja de Santa Luzia e São Brás, em Lisboa, Sede Nacional da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem Soberana e Militar de Malta.


O encontro terminou com o autógrafo e oferta do livro a Sua Excelência o Senhor Embaixador, que prontamente aceitou o convite para assistir à Sessão de Lançamento.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Prof. Doutor Gonçalo de Vasconcelos e Sousa é o novo Provedor da Venerável Ordem Terceira de São Francisco do Porto

Gonçalo de Vasconcelos e Sousa (Castelo Melhor), Professor Catedrático da Universidade Católica Portuguesa, Cavaleiro de Honra e Devoção da Ordem Soberana Militar de Malta e actual Presidente da Mesa da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses, é o novo Provedor da Ordem Terceira de São Francisco do Porto.
A Venerável Ordem Terceira de São Francisco do Porto, fundada no século XVII, desenvolve um conjunto de actividades que vão desde a administração do Hospital e Lar Margarida Lisboa, à residência Rainha Santa Isabel, administrando, também, o Cemitério Privativo, em Agramonte.
Todos os anos cerca de 300.000 pessoas visitam a igreja do Convento de São Francisco e o Museu da Ordem Terceira, sendo um dos principais centros de atracção turística da cidade do Porto.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Pré-lançamento do livro "A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses" na antiga comenda de Rossas, Arouca.

Realizou-se, no passado dia 11 de Agosto, no Centro Cultural da freguesia e antiga comenda de Rossas, no concelho de Arouca, a Sessão de pré-lançamento do livro "A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses", da autoria de António Brandão de Pinho, Cavaleiro da Ordem Soberana Militar de Malta e Membro do Conselho da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses.
A Sessão foi presidida por S.E. o Senhor Embaixador Coronel António Feijó de Andrade Gomes, Grã-Cruz de Graça e Devoção em Obediência da Ordem Soberana Militar de Malta, que se dignou fazer a apresentação do livro.


António Brandão de Pinho usou da palavra para cumprimentar os presentes, agradecer a honra e amabilidade de S.E. o Senhor Embaixador Coronel António Feijó, pelo facto de ter aceitado o convite para presidir à Sessão e apresentar a obra, e, muito sucintamente, justificar o trabalho agora dado à estampa e o porquê do pré-lançamento em Rossas.
Depois de, a titulo de curiosidade, referir conhecer S.E. o Senhor Coronel António Feijó há cerca de 10 anos, por força de uma conferência relativa à Ordem de Malta, então realizada na freguesia e antiga comenda de Rio Meão, António Brandão de Pinho justificou a presente obra, essencialmente, nos vários apontamentos que foi tirando sobre antigas comendas e possessões da Ordem de Malta no território português, bem como nas visitas que realizou a essas mesmas comendas. Mas, principalmente, pelo interesse que lhe motivou a presença da cruz da Ordem de Malta na maior parte dos brasões autárquicos das freguesias e municípios que hoje integram essas antigas comendas e o incentivo que sempre obteve por parte dos mais altos representantes da Ordem em Portugal. Quanto ao facto de realizar um pré-lançamento do livro em Rossas, referiu tratar-se de um dever moral, uma vez que é daí natural, aí iniciou esses trabalhos e, acima de tudo, porque se trata de uma antiga e importante comenda, para a qual entende ter o dever de chamar a atenção enquanto membro da Ordem.
Após agradecer o convite e cumprimentar os presentes, S.E. o Senhor Coronel António Feijó, que se fez acompanhar por sua esposa, Senhora Dona Maria Filomena Azevedo de Ataíde, Dama de Honra e Devoção da Ordem Soberana Militar de Malta, fez uma apresentação pormenorizada e muito elogiosa deste novo trabalho do seu confrade e amigo, destacando a importância dos assuntos tratados, a laboriosa tarefa de coleccionar e elencar tão grande conjunto de brasões autárquicos e nestes ter perspectivado a história e presença da Ordem no nosso território, num interessante paralelismo com a história de Portugal, que a todos muito deve orgulhar.
O Senhor José Paulo Oliveira, Presidente da Junta de Freguesia de Rossas, cumprimentou e agradeceu a presença de todos, especialmente de S.E. o Senhor Embaixador Coronel António Feijó e sua esposa, deu os parabéns ao autor por mais este trabalho, que, - referiu -, na sequência dos anteriores, muito vem contribuir para um maior e melhor conhecimento da história da freguesia, pelo que esta lhe fica reconhecida e agradece. Seguiu-se a sessão de autógrafos.

S.E. o Senhor Coronel António Feijó e o autor António Brandão de Pinho
(foto de JCB)

S.E. o Senhor Coronel António Feijó no uso da palavra
(foto de JCB)
S.E. o Senhor Coronel António Feijó a cumprimentar António Brandão de Pinho
(foto de Carlos Pinho)
Senhor José Paulo Oliveira, Presidente da J. F. de Rossas, no uso da palavra
(foto de Carlos Pinho)

S.E. o Senhor Coronel António Feijó entrevistado pela Rádio Regional de Arouca
(foto de JCB)

Sessão de autógrafos pelo autor
(foto de JCB)
A Sessão de Lançamento do livro "A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses", terá lugar no próximo mês de Setembro, em Lisboa.


Visita de Fra' João ao Mosteiro de Arouca e à Igreja Matriz da antiga comenda de Rossas

Por ocasião do pré-lançamento do livro "A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses", e apesar de não poder assistir à Sessão, S.E. Fra' João Freire de Andrade, Cavaleiro Professo e de Justiça da Ordem Soberana Militar de Malta, aceitou o convite de António Brandão de Pinho para visitar o Mosteiro de Arouca, a Associação de Defesa do Património Arouquense e a Igreja Matriz de Rossas. Fra' João foi acompanhado nesta visita a Arouca por seu primo e confrade, Senhor Francisco Freire de Andrade, esposa e filho.
Após alguns minutos de recolhimento de Fra' João na Igreja, iniciou-se a visita ao Mosteiro e Museu, seguindo-se depois a visita às instalações da Associação de Defesa do Património Arouquense e, finalmente, a deslocação e visita à Igreja Matriz da antiga comenda de Rossas.

Fra' João junto ao Túmulo da Rainha Santa Mafalda

Fra' João e Francisco Freire de Andrade no Cadeiral do Mosteiro

Em visita guiada ao Mosteiro

Em visita guiada ao Museu do Mosteiro

Em visita à exposição na Associação de Defesa do Património Arouquense

Fra' João e Francisco Freire de Andrade junto à pedra de brasão existente no adro da Igreja Matriz de Rossas

Fra' João ladeado por António Brandão de Pinho e Francisco Freire de Andrade

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Reitor do Seminário Maior do Porto recebeu António Brandão de Pinho

Correspondendo ao pedido que lhe foi dirigido, o Reverendíssimo Cónego Alfredo Ferreira da Costa, Reitor e Director do Museu do Seminário Maior de Nossa Senhora da Conceição do Porto, recebeu António Brandão de Pinho, autor do trabalho "A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses".


A audiência destinou-se a apresentar cumprimentos, o trabalho agora dado à estampa pelo seu amigo e antigo paroquiano, e formalizar o convite ao Reverendíssimo Cónego para a Sessão de apresentação e pré-lançamento do livro na antiga comenda e freguesia de Rossas, no concelho de Arouca, que terá lugar no próximo dia 11 de Agosto e será presidida por Sua Excelência o Senhor Embaixador Coronel António Feijó de Andrade Gomes, Grã-Cruz de Graça e Devoção em Obediência da Ordem Soberana e Militar de Malta.

O encontro terminou com a deslocação ao Paço Episcoal, onde António Brandão de Pinho deixou dois exemplares dedicados ao Excelentíssimo Reverendíssimo Bispo do Porto, Senhor Dom António Francisco dos Santos, e ao Excelentíssimo Reverendíssimo Bispo Auxiliar do Porto, Senhor Dom António Augusto Azevedo.

domingo, 11 de junho de 2017

"A CRUZ DA ORDEM DE MALTA NOS BRASÕES AUTÁRQUICOS PORTUGUESES"


O livro "A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses" (capa em imagem), da autoria de António Brandão de Pinho, com prefácio de S.E. o Senhor Conde de Albuquerque, Presidente do Conselho Directivo da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem Soberana e Militar de Malta, editado pela Chiado Editora, será lançado em Setembro.

O autor, António Brandão de Pinho, Cavaleiro da Ordem Soberana e Militar de Malta e Membro do Conselho Directivo da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses, é natural da antiga comenda de Rossas, no concelho de Arouca, onde nasceu em 11 de Fevereiro de 1978. É Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Lusíada do Porto, Pós-Graduado em Direito das Sociedades Comerciais, Pós-Graduado em Sociedades Abertas e do Mercado "Cotadas" pela Faculdade de Direito da Universidade Católica e formado em Mediação de Conflitos.
Antes de rumar ao Porto, onde se formou, e a Lisboa, onde exerce actividade profissional, foi dirigente associativo, tendo sido, entre outros cargos, presidente da Direcção e da Assembleia-Geral do Grupo Cultural e Recreativo de Rossas, primeiro presidente da Direcção da Federação das Associações do Município de Arouca, e vice-presidente da Direcção e presidente do Conselho Fiscal da Federação das Associações Juvenis do Distrito de Aveiro. É ainda presidente da Mesa da Assembleia-Geral da Associação de Defesa do Património Arouquense e Irmão da Real Irmandade da Rainha Santa Mafalda de Arouca.
Jurista de formação e historiador por vocação, como costuma dizer, desde muito cedo começou a pesquisar aspectos da história da sua terra natal, sobre a qual já publicou diversos artigos e dois livros, o último dos quais epigrafado "Rossas e a Ordem de Malta". 
Sobre a Ordem de Malta, e dentre outros estudos, há já alguns anos que vinha elaborando o trabalho que agora dará à estampa, versando essencialmente sobre história e heráldica da Ordem e das respectivas autarquias, ao passo que realizou a visita a todas as antigas comendas objecto do seu estudo e frequentou um curso de Heráldica na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Peregrinação de Sua Santidade o Papa Francisco ao Santuário de Fátima

Gravura da autoria de 
Francisco de Noronha e Andrade
Vários Membros da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem de Malta, dentre os quais muitos recém regressados de Lourdes, França, onde participaram na Peregrinação Anual dos Cavaleiros de Malta, estão já na estrada a auxiliar as dezenas de voluntários do CVOM - Corpo de Voluntários da Ordem de Malta, na assistência aos Peregrinos e a caminho do Santuário de Fátima, onde participarão nas Cerimónias de Comemoração do Centenário das Aparições de Nossa Senhora aos Pastorinhos.
Por esta ocasião, a Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem de Malta vai oferecer a Sua Santidade o Santo Padre Francisco uma gravura da autoria do Confrade Dr. Francisco de Noronha e Andrade, representando a Aparição de Nossa Senhora aos três Pastorinhos.

domingo, 7 de maio de 2017

Com os peregrinos a caminho de Fátima!


Durante os próximos dias estaremos na estrada, com o CVOM - Corpo de Voluntários da Ordem de Malta, a auxiliar, confortar, recuperar e incentivar os peregrinos que demandam o Santuário de Fátima. Se vai para a estrada, redobre a sua atenção, ajude e incentive a fazer este caminho; um caminho de fé e devoção, mas também de tolerância, respeito pelas razões e convicções do outro, de liberdade e solidariedade.

"Desde tempos imemoriais que os peregrinos – vocábulo de origem latina, per agrum, que significa ‘pelos campos’ –, realizam, no âmbito histórico e religioso, individualmente ou em grupo, jornadas em direção a um determinado lugar sagrado.
Em Portugal, existe uma forte tradição na realização de peregrinações cristãs direccionadas para os mais variados locais de culto, com destaque para aquelas que se decorrem no Santuário de Fátima, que envolve inúmeras pessoas.
É de referir que a condição de peregrino não se esgota na intenção de caminhar em direção de um lugar sagrado; importa também valorizar o motivo que o levou a fazer essa jornada, determinante para a sua vida, onde muitas vezes se procura o sentido da própria existência, como um percurso interior.
4. Importa referir, também, que o ato de peregrinar abrange uma amplitude que vai muito para além da condição de crente de quem o pratica, abrangendo uma dimensão social, cultural e económica que se deve também valorizar.
Na sua declaração de 23 de novembro de 1987, a propósito da revitalização do Caminho de Santiago, o Conselho da Europa reconhece “que a força que, ao longo dos tempos, animou os peregrinos e, para além das diferenças e interesses nacionais, os reuniu numa aspiração comum, nos inspire hoje, e muito particularmente os jovens, a percorrer estes caminhos, em ordem a construirmos uma sociedade fundada na tolerância, no respeito do outro, na liberdade e na solidariedade”.
in Resolução da Assembleia da República n.º 66/2014, que instituiu o Dia Nacional do Peregrino, publicada em DR, 1.ª Série, n.º 134, de 15 de julho de 2014.

sábado, 6 de maio de 2017

João Freire de Andrade renovou os seus Votos Temporários como Cavaleiro Professo

Acto Solene de Profissão de João Freire de Andrade
Durante a Peregrinação Anual e Internacional da Ordem de Malta ao Santuário de Nossa Senhora de Lourdes, em França, que está a ter lugar este fim-de-semana, o Cavaleiro de Honra e Devoção, Dr. João Augusto Esquível Freire de Andrade, sob testemunho do Cavaleiro de Justiça Frei Dom Ruy Villas-Boas (Guilhomil), renovou os seus Votos Temporários de Cavaleiro Professo. Deo Gratias!

domingo, 30 de abril de 2017

Juramento de Fra' Giacomo Dalla Torre.

Acto de Juramento de Fra' Giacomo Dalla Torre
Fra' Giacomo Dalla Torre do Tempio de Sanguinetto, eleito Lugar-Tenente do Grão-Mestre, na manhã de ontem, prestou hoje juramento na Igreja de Santa Maria, no Aventino, sob a presença dos demais Membros do Conselho Completo de Estado e do Delegado Especial de Sua Santidade o Papa.
Após o juramento, o Grande Comandante, Fra' Ludwig Hoffmann von Rumerstein conferiu o colar do Grão-Mestre ao Lugar-Tenente, tendo o Grande Chanceler Albrecht Boeselager declarado dissolvido o Conselho Completo de Estado.
Este mandato terá a duração de um ano, findo o qual será convocado no Conselho Completo de Estado para que se proceda à eleição do Grão-Mestre.



sábado, 29 de abril de 2017

Eleito o novo líder da Ordem de Malta

Conforme anunciado, hoje, dia 29 de Abril de 2017, o Conselho Completo de Estado da Ordem de Malta, órgão electivo, reuniu-se na Villa Magistral, em Roma, com o propósito de eleger o Grão-Mestre ou, não sendo possível, o Lugar-Tenente do Grão-Mestre.

Reunião do Conselho Completo de Estado da Ordem de Malta
Foi eleito Lugar-Tenente, o italiano Fra’ Giacomo dalla Torre del Tempio di Sanguinetto, com 72 anos, nascido em Roma, em 09 de Dezembro de 1944, que vinha ocupando o cargo de Grão-Prior desta sua cidade natal desde 2008.

Fra’ Giacomo dalla Torre del Tempio di Sanguinetto
n.09 de Dezembro de 1944, em Roma
O Lugar-Tenente, cuja particularidade do cargo é a de nele apenas poder permanecer pelo período de um ano - recorde-se que a Ordem de Malta é uma Monarquia Electiva Constitucional e o cargo de Grão-Mestre é para a vida -, manifestou vontade de trabalhar em conjunto com o Soberano Conselho para promover atividades diplomáticas, sociais e humanitárias, e fortalecer a vida espiritual e o comprometimento de seus 13.500 membros e dos seus mais de 100.000 voluntários e funcionários.
Conforme previsto, o eleito será empossando amanhã, prestando juramento em Sessão Solene do Conselho Completo de Estado na presença do Delegado Especial de Sua Santidade o Papa, Dom Giovanni Angelo Becciu, seguindo-se a celebração da Santa Missa na Igreja da Ordem, no Aventino.
Sua Santidade o Papa Francisco foi já informado por carta da eleição. Seguidamente, procedeu-se à informação de todos os Grão-Priorados, Sub-Priorados e Associações Nacionais da Ordem no Mundo, juntamente com 106 países com os quais a Ordem tem relações diplomáticas.

Perfil de Fra 'Giacomo dalla Torre del Tempio di Sanguinetto
Giacomo del Tempio di Sanguinetto nasceu em Roma, em 09 de Dezembro de 1944. Formou em Literatura e Filosofia na Universidade de Roma, com especialização em Arqueologia Cristã e História da Arte, ocupou cargos acadêmicos na Pontifícia Universidade Urbaniana, ensinando grego clássico. Foi ainda responsável pela Biblioteca e arquivista das mais importantes coleções da Universidade. Publicou ensaios e artigos sobre história da arte medieval.
Ingressou na Ordem Soberana e Militar de Malta em 1985, tendo professado os votos solenes em 1993. De 1994 a 1999 foi o Grão-Prior da Lombardia e Veneza e de 1999 a 2004 foi membro do Soberano Conselho da Ordem. Em 2004 o Capítulo Geral elegeu-o Grande Comendador da Ordem e aquando da morte do 78º Grão-Mestre Fra 'Andrew Bertie foi Tenente Temporário. Desde 2008, ocupa o cargo de Grão-Prior de Roma.
A primeira grande actividade do novo Tenente Grão-Mestre será a 59ª Peregrinação Internacional da Ordem de Malta a Lourdes, que será realizada em Maio do próximo ano.
Uma das tarefas mais importantes do ano do seu mandato, será trabalhar para o processo de reforma da Constituição e do Código da Ordem de Malta. A Constituição foi promulgada em junho de 1961 e reformado em 1997. Em particular, a reforma constitucional irá corrigir eventuais deficiências institucionais. A crise recente revelou algumas deficiências no controle e equilíbrio dos sistemas de governança: a reforma vai levar isso em conta. A reforma incidirá no fortalecimento da vida espiritual e aumento do número dos seus membros professos.

O Lugar-Tenente
De acordo com a Constituição da Ordem, o Lugar-Tenente ocupará o cargo apenas pelo período de um ano, com os mesmos poderes que um Grão-Mestre, tendo por obrigação reunir o Completo Conselho de Estado antes do fim do mandato.
Como Soberano da Ordem tem a autoridade final. Juntamente com o Soberano Conselho, emite as medidas legislativas não previstas pela Constituição, promulga os actos do governo e acordos internacionais ratificados. Terá a sua residência, na Sede da Ordem de Malta, no Palácio Magistral em Roma. Fonte: ttps://www.orderofmalta.int/it


Post scriptum - Rectificamos a denominação "Tenente Grão-Mestre" para "Lugar-Tenente", para simples uniformização das comunicações da Ordem. No entanto, entendemos que, atenta a sua essência, modo de eleição e função, "Tenente Grão-Mestre" é a melhor e mais adequada tradução de Lieutenant of the Grand Master .

quinta-feira, 27 de abril de 2017

29.04.2017 - Reunião do Conselho Completo de Estado da Ordem Soberana e Militar de Malta

Villa Magistral da Ordem de Malta
Aventino, Roma
O Conselho Completo de Estado da Ordem Soberana e Militar de Malta, órgão responsável pela eleição do Grão-Mestre, terá lugar no próximo sábado, dia 29 de Abril, na Vila Magistral - sede extraterritorial da Ordem - em Roma.
Este Conselho é composto pelos representantes máximos da Ordem ao nível do Soberano Conselho em funções, dos Grão-Priorados, Associações Nacionais e Cavaleiros eleitos pelos seus pares, num total de 56 eleitores.

À semelhança do Estado do Vaticano, a Ordem Soberana e Militar de Malta é uma Monarquia Electiva, pelo que o Grão-Mestre é eleito, para vida, pelo Conselho Completo de Estado, entre os Cavaleiros Professos com pelo menos dez anos em votos perpétuos, se forem menores de cinquenta anos de idade. No caso dos Cavaleiros Professos que são mais velhos, mas que têm sido membros da Ordem durante pelo menos dez anos, três anos em votos perpétuos são suficientes.
Desta feita, há 12 candidatos elegíveis. Os Cavaleiros Professos que participam no Conselho Completo de Estado têm o direito de propor três candidatos no primeiro dia do Conselho, o chamado "terna". Na sequência desta decisão, inicia-se o processo eleitoral. Para eleger um Grão-Mestre, é necessária uma maioria mais um voto dos presentes com direito a voto. Se não se conseguir a eleição nesta primeira volta, os membros passam a ter liberdade de escolha relativamente aos 12 candidatos elegíveis nas votações seguintes.

Depois da eleição, o candidato eleito para o cargo de Grão-Mestre é notificado da sua eleição, devendo aceitar ou recusar o cargo imediatamente. Aceitando, deve comunicar a sua eleição a Sua Santidade o Papa.

Se da reunião do próximo sábado sair eleito um candidato, este, na manhã seguinte, prestará juramento em Sessão Solene do Conselho Completo de Estado na presença do Delegado Especial de Sua Santidade o Papa, Dom Giovanni Angelo Becciu, seguindo-se a celebração da Santa Missa na Igreja da Ordem, no Aventino.

_________________________

Comunicação de Sua Santidade, o Papa Francisco


A Sua Excelência Fra’ Ludwing Hoffmann von Rumerstein, 
Grande Comandante e Tenente Interino 
e aos Membros do Conselho Completo do Estado da 
Ordem Soberana, Militar e Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta

Na minha preocupação pastoral de que a Ordem de São João ofereça à Igreja e ao Mundo os seus Carismas, a missão e a obra para a qual o Senhor a trouxe à existência há 900 anos, quero dar-vos uma palavra de encorajamento e algumas reflexões neste momento em que se prepara a eleição do Grão-Mestre ou do Tenente do Grão-Mestre.
Creio que, em cumprimento do encargo que me foi confiado como Supremo Pastor da Igreja, tenho a responsabilidades de todos os Institutos de Vida Consagrada e, portanto, também da Vossa Ordem distinta e antiga. Além disso, é a mesma Carta Constitucional que prevê uma relação particular com o Sucessor de Pedro como um dos princípios da Ordem de Malta.
Em virtude desta relação especial, nestes últimos meses, ouvi pessoalmente ou por intermédio do meu Delegado, os desejos e aspirações de muitos membros da Ordem, que querem assegurar um modo de servir ainda mais consonante com o Evangelho, de acordo com o carisma e os objetivos particulares da família da Ordem (Tuitio Fidei et Obsequium Pauperum).
Estão, pois, embarcados num importante caminho de renovação espiritual, num espírito de fidelidade à tradição e de olhos postos nos sinais dos tempos e necessidades do mundo, através do testemunho da Fé e nos serviços aos pobres.
À Pessoa que escolherem para guiar a Ordem neste momento de transição, será confiado o dever de implementar as iniciativas adequadas para estudar e apresentar as reformas necessárias, as quais serão devidamente avaliadas por um Capítulo Geral Extraordinário.
Na sequência da minha decisão de 2 de Fevereiro último, em indicar o meu Delegado Especial perante esta distinta Ordem, designo agora H.E. Mons. Giovanni Angelo Becciu para receber o juramento dos eleitos, derrogando, na medida do necessário, os artigos 14.º e 17.º, n.º 5 da Carta Constitucional.
Peço ao Senhor e encorajo-vos a realizar com alegria a missão iniciada pelo Beato Gerard e continuada pelo testemunho de muitos Santos e Beatos da Ordem, promovendo a glória de Deus através da Santificação dos seus Membros, do Serviço à Fé e ao Santo Padre e a ajuda aos mais vulneráveis.
Que a Santíssima Virgem Mãe de Deus do Monte Filermo, o Precursor e Profeta São João Batista, e o Beato Gerard vos acompanhem neste caminho.
Como penhor da assistência divina, com afecto especial, concedo a todos vós a minha Benção Apostólica,

Francisco, 

Vaticano, 26 de Abril de 2017